Polícia australiana alerta para crimes cometidos com arma feita em impressora 3D

A polícia da Nova Gales do Sul, na Austrália, emitiu um alerta nesta sexta-feira (24) durante uma coletiva de imprensa para a possibilidade de crimes serem cometidos com a arma Liberator, produzida em impressoras 3D. As autoridades do país fizeram testes com a pistola e certificaram que ela é "indetectável, fácil de fazer e barata".

Para o experimento, a polícia gastou US$ 35 na compra de materiais plásticos para criar a arma Liberator e US$ 1.700 em uma impressora 3D de mesa. Os únicos componentes metálicos utilizados foram um prego (que serviu de disparador) e o cartucho de uma pistola .380. Mesmo assim, como boa parte do corpo é feita de plástico, fica difícil de uma pessoa ser pega em um detector de metal.



Andrew Scipione, comissário da polícia, disse que a pistola apresentou uma falha grave durante disparos de teste e que este problema pode machucar seriamente o portador da arma.De acordo com o inspetor Wayne Hoffman, a produção da arma levou 27 horas entre impressão de peças e a montagem das 17 partes da Liberator. "Nós achamos que é apenas uma questão de tempo para que os criminosos comecem a usar esse tipo de arma em delitos sérios", disse.

Como outras pistolas, a posse da Liberator é proibida no país. Apenas cidadãos autorizados podem manter armamento em casa. "Não só essas armas [feitas em impressoras 3D] são ilegais, mas também muito perigosas", disse Scipione durante coletiva de imprensa.

No teste da polícia australiana, apesar da falha,  a arma também chegou a fazer disparos com sucesso. Ao atirar em um bloco, a polícia verificou que uma bala chegou a perfurar 17 centímetros -- o suficiente para matar uma pessoa.

Recentemente, os arquivos para a impressão da Liberator foram tirados do ar no site da Defense Distributed e do site de compartilhamento de arquivos Mega. No entanto, o inspetor Hoffman acredita que é quase impossível parar a distribuição dos moldes. Ele chegou a comparar a troca dos moldes da arma com a pirataria. Por mais que alguém tire do ar, sempre tem alguém que mantém o arquivo e distribui.

(Com ComputerWorld)

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>