Campina Grande: Complexo terá 4,1 mil imóveis

A solenidade de assinatura da ordem de serviço para o início das obras do Complexo Industrial, Empresarial, Logístico e Habitacional Aluísio Campos, no bairro do Ligeiro, em Campina Grande, será realizada hoje, às 10h. A previsão inicial é de que em 24 meses, 4.100 imóveis estejam prontos para abrigar aproximadamente 16 mil pessoas.

O cadastramento para os interessados em adquirir um imóvel está previsto para começar quando a obra estiver com mais de 20% de sua totalidade pronta e vai contemplar os beneficiários do programa do governo federal 'Minha Casa Minha Vida', que tenham renda familiar de até R$ 1,6 mil por mês. A previsão inicial é de que em dois anos, as unidades habitacionais estejam disponíveis para a população.

As obras de infraestrutura já foram iniciadas no local, que terá uma área de aproximadamente 800 hectares, onde serão instalados um conjunto residencial, um complexo industrial, complexo logístico, além do complexo de pesquisa e fabricação de equipamentos. Já a terraplanagem está prevista para acontecer no decorrer do mês de outubro, para que em novembro comece a construção das unidades habitacionais.

Segundo o secretário de Obras de Campina Grande, André Agra, o Complexo abrigará uma cidade dentro de outra, com infraestrutura, acessibilidade e sustentabilidade. “Estamos criando uma nova cidade dentro de Campina Grande, com previsão de que tenhamos uma população em torno de 16 mil habitantes. Será um bairro diferenciado, que vai ser entregue todo equipado aos moradores, com esgotamento sanitário, pavimentação, drenagem, energia solar, eletrificação e, além disso, cerca de 150 empresas vão se instalar no local, dando oportunidade de trabalho para os próprios moradores.

Esperamos que 10.800 novos empregos sejam criados”, afirmou André Agra.

O orçamento da obra gira em torno de R$ 300 milhões, sendo R$ 23 milhões de contrapartida da Prefeitura de Campina Grande, e o restante proveniente da iniciativa privada. No local também serão construídas três creches, duas escolas, duas praças com academia e dois postos de saúde. A conclusão do empreendimento, em sua totalidade, está prevista para acontecer dentro de 20 anos e outra novidade será a instalação de uma Tecnópolis – a primeira do Nordeste.

“É um projeto de médio e longo prazo, com a expectativa de que dentro de duas décadas, Campina Grande seja beneficiada com um dos maiores projetos habitacionais do Brasil. Cerca de 160 empresas já estão com cartas assinadas e estamos em fase de definição do projeto de engenharia e esgotamento sanitário. Além disso, no local será construída uma Tecnópolis.

Trata-se de uma área que vai integrar agentes e produtores de tecnologia. Também teremos um complexo de pesquisa e fabricação de equipamentos”, revelou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Campina Grande, Luiz Alberto Leite.

O Complexo Aluízio Campos está no bairro do Ligeiro, entre Campina Grande e Queimadas, às margens da BR-104 e não terá um formato de condomínio residencial, com muros e tráfego de pessoas monitorado. Terá características de uma cidade moderna e sustentável.

A ordem de serviço será assinada pelo prefeito Romero Rodrigues, às 10h, no local. 


http://www.jornaldaparaiba.com.br/no...-1-mil-imoveis

>