Coreia do Norte anuncia 'estado de guerra' com Sul

A Coreia do Norte declarou neste sábado que entrou "estado de guerra" com a Coreia do Sul na última de uma série de ameaças que elevaram as tensões na Península Coreana.

AP
Universitários socam ar durante marcha na Praça de Kim Il-sung, no centro de Pyongyang, Coreia do Norte

O governo da Coréia do Norte, partidos e organizações, emitiram um comunicado conjunto que todas as questões entre os dois países serão agora tratadas como assuntos relacionados a guerra.

A Península Coreana já está em estado técnico de guerra porque a Guerra da Coreia terminou com um cessar-fogo e não um tratado de paz. Mas o governo de Pyongyang abandonou o armistício no início deste mês.

O Ministério de Unificação da Coréia do Sul divulgou rapidamente um comunicado afirmando que a recente ameaça não é nova e que se trata de uma sequencia da politica do ex-presidente Kim Jong-il de colocar tropas em estado de alerta em resposta aos treinamentos anuais sul-coreanos. Pyongyang vê esses exercícios como ensaios para uma invasão da Coreia do Norte.

Na sexta-feira, o líder norte-coreano Kim Jong Un alertou suas forças estavam prontas "para acertar as contas com os EUA" após dois bombardeiros americanos voaremem missao de treianmento na Coréia do Sul.
Analistas dizem que um conflito em larga escala na peninsula coreana é improvável e até mesmo suicida para Pyongyang e as ameaças são uma forma de pressionar os EUA a negociarem.

Mas o teor das ameaças da Coreia do Norte e animosidade crescente dos paises rivais que se seguiu às sanções da ONU no mes passado apos os testes nucleares feitos por Pyongyang levantam preocupações de um erro de julgamento de possa resultar num confronto.

Ontem, na praça principal de Pyongyang, dezenas de milhares de norte-coreanos sairam para um comício de 90 minutos em apoio à chamada Kim ao confronto.

Pequenos navios de guerra norte-coreanos, incluindo barcos de patrulha, realizaram exercícios marítimos fora da costa norte-coreana, perto da fronteira com a Coreia do Sul no início desta semana. As informaçoes sao do porta-voza de Defesa sul-coreano, Kim Min-seok, que nao forneceu detalhes.

O porta-voz disse que os militares da Coreia do Sul estavam cientes da possibilidade de que exercícios norte-coreanos poderiam levar a uma provocação real de conflito bélico.

Ele disse que a Coreia do Sul e militares dos Estados Unidos estão observando atentamente quaisquer sinais de preparativos para o lançamento de mísseis na Coréia do Norte.

Pyongyang usa o arsenal nuclear dos EUA como uma justificativa para impulsionar seu programa de arma nuclear.Ele afirma que o poder de fogo americano é uma ameaça à sua existência.

ig

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>