FANTOCHE: eleito para ser a voz do povo, Santino adota lei do silêncio e repassa papel de político para assessor


FANTOCHE: eleito para ser a voz do povo, Santino adota lei do silêncio e repassa papel de político para assessor

Parlar, em italiano, significa falar. O cargo de parlamentar representa a voz do povo. Apesar de todos esses significados o vereador de primeiro mandato em João Pessoa, Santino (PT do B), surpreendeu, na manhã desta quarta-feira (17) e confessou que foi proibido de falar.

As ordens dadas ao parlamentar novato são dos próprios assessores que podem estar temendo que o anão fale o que não deve e acabe colocando em xeque a reeleição em 2016 e consequentemente seus cargos comissionados do legislativo da Capital.

“A orientação da assessoria é essa, não falar, eles é que vão falar por mim”, declarou.

Destacando uma total falta de personalidade, Santino, que ganhou a confiança do povo em 2012, hoje tem medo de falar para esse próprio povo, jogando assim para seus assessorados, dentre eles alguns familiares, a responsabilidade de responder pelo mandato.

Informações obtidas pelo PB Agora dão conta que na semana passada, quando repórteres se aproximaram do menor vereador do país, um dos assessores correu e interrompeu a entrevista, ressaltando que o parlamentar só poderia falar através da assessoria. Na ocasião, o assessor teria se colocado à disposição para responder as dúvidas da imprensa, assumindo assim o papel de político.





PB Agora

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>