Suspeito de apologia ao nazismo, racismo e homofobia é preso em Americana

A Guarda Municipal de Americana divulgou imagens nesta terça-feira (16) que mostram o momento da prisão de Antonio Donato Baudson Peret, de 25 anos, autointitulado neonazista. Peret foi preso no último domingo (14) na rodoviária de Americana e é investigado pela Polícia Civil de Belo Horizonte (MG) por suspeita de racismo e homofobia. 




A investigação começou depois que ele publicou uma foto no Facebook em que aparece enforcando um morador de rua negro com uma corrente. O acusado também é suspeito de integrar um grupo de skinheads ('cabeça raspada'), grupo conhecido por ataques contra negros e homossexuais. Peret foi detido quando voltava de viagem a São Paulo, acompanhado da namorada, que mora em Americana.

 Ele foi transferido domingo (14) à noite para a Cadeia de Pouso Alegre, no sul de MG, depois de ter sido indiciado por apologia ao crime e formação de quadrilha, em cumprimento ao mandado de prisão pedido pela delegada responsável pelo caso, Paloma Doson Kairala, da Delegacia de Crimes Cibernéticos. Também no domingo (14) Marcus Vinícius Garcia Cunha, 26, e João Matheus Vetter de Moura, 20, foram presos, suspeitos de racismo e formação de quadrilha. 

Eles fazem parte do mesmo grupo de neonazistas de Peret. Os três estão presos no Centro de Remanejamento de Presos (CERESP) São Cristóvão, em Belo Horizonte. 

 Facebook 

 No início do mês, uma imagem postada no Facebook em que Peret aparece enforcando um homem negro com uma corrente circulou pela internet e causou polêmica entre internautas. Ao lado da imagem, o autointitulado neonazista defende a prática preconceituosa e acusa a vítima de usar drogas na praça Savassi, em Belo Horizonte. Assista ao vídeo do momento da prisão:
IG

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>