Evangélicos são ameaçados de serem queimados por não seguirem a doutrina católica


No México existe um conflito entre os Cristãos Evangélicos e Cristãos Católicos que são maioria no país e em sua grande parte tem um comportamento radical. É o caso de um município no estado de Oaxaca, onde o prefeito e autoridades estão ameaçando os evangélicos de serem queimados ou jogados de um penhasco pelo fato de não serem católicos.


O pastor evangélico, Leopoldo Alonso Silva da Igreja Cristã Independente Getsêmani , localizado no município de San Juan Ozolotepec em Oaxaca, informou que a comunidade e o prefeito Pedro Cruz González, ameaçaram queimar os membros da Igreja ou joga-los de um precipício se não negar sua religião e se tornarem católicos.
Em entrevista por telefone, Silva, disse ao jornal mexicano La Reforma que a intolerância religiosa na comunidade indígena e as ameaças são liderados por Pedro Cruz González e Salvador Rivera Cruz, prefeito municipal e secretário, respectivamente.
O pedido do pastor é de ajuda pela atitude de intolerância religiosa que existe em várias comunidades em Oaxaca, que foi aumentado nesta população de evangélicos, porque as autoridades municipais estão exigindo que fechar seus cultos e igrejas, disse o pastor.
O que é surpreendente é que tanto o governo do estado através dos Assuntos Religiosos da Secretaria-Geral do Governo disse que é melhor os evangélicos pagarem uma taxa de 7 mil pesos de multa para poderem cultuar e não mais serem perseguidos e não ter conflitos com as autoridades.
Os cristãos evangélicos na cidade de San Juan Ozolotepec, Miahuatlán Township, enfrentam perseguição religiosa pelo prefeito Cruz, que já ameaçou eles, dizendo vai queima-los ou coloca-los em uma camioneta e procuram um penhasco e jogar todos.
A indisposição entre o governo municipal que é católico um tanto quanto radical, já em 2011, criou polemica quando da morte do cristão  Epifanio Reyes Ramirez, na época a autoridade proibiu a sepultado no cemitério municipal.O mesmo ocorreu em Março de 2011, quando Elena morreu Villavicencio Cruz que também era cristã.
O atual município mantém a mesma posição e argumenta que “por acordo do conselho, você tem que negar enterro a qualquer pessoa que professa uma religião diferente do catolicismo.”
O grupo de evangélicos da Igreja Pentecostal “Getsêmani”, também é composto por 18 crianças, uma das quais foi expulso da escola porque seus colegas de escola que são de famílias por  católicas o agrediram por ele ser de família evangélica.
Foi estabelecido que os cristãos não têm direitos na comunidade, e o acesso a programas sociais lhes são negados. Estão sendo impedidos de trabalhar as suas terras, e as autoridades municipais estão planejando uma maneira para expulsão de todos os evangélicos com o argumentos que amparados com as leis municipais, que já tem nelas um tom discriminatório em face que a maioria da população local é da religião católica radicais, e sustentados nessas “leis” estão fazendo criando as medidas necessárias para removê-los do município.
Autoridade também proibiu a construção de um templo e os evangélicos temem que a qualquer momento, desencadeie uma situação de derramamento de sangue e uma hostilidade violenta as suas garantias de liberdade de crença e culto.
Pastor Silva disse: “Tememos pelo irmãos, porque as coisas desagradáveis no passado aconteceram e agora eles querem nos queimar.  Mesmo as autoridades do México afirmarem que “não à intolerância religiosa” o diretor de assuntos religiosos do governo de Oaxaca, Francisco Zavaleta Rojas, disse que é melhor os cristão pagarem uma multa de 7 mil pesos que são pedidos aos cristãos evangélicos por não serem católicos, e assim com o pagamento ficam livres da perseguição.

 Noticias Cristianas

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>