“Eu era o Malafaia de saias”: Primeira pastora lésbica do Brasil já foi a favor da “cura gay”

Lanna Holder é a primeira ministra evangélica assumidamente lésbica do Brasil.
Mas, antes de sair do armário, Lanna era missionária da Assembleia de Deus e foi uma das defensoras da “cura gay”.


“Eu era o Silas Malafaia de saias. Por sete anos preguei contra a homossexualidade”, diz Lanna.
“Eu inicialmente entrei para igreja para mudar minha sexualidade. Eu achava que, por ser quem eu sou, iria para o inferno. Percebi que estava me agredindo, que aquilo não me representava. Procurei uma teologia mais inclusiva”, afirma a pastora.
Aos 39 anos, Lanna vive há cinco com sua esposa, Rosania Rocha. O casal fundou em 2011 a Comunidade Evangélica Cidade de Refúgio, em São Paulo.
A congregação acolhe fiéis de diferentes orientações sexuais. “Começamos com 15 fiéis, hoje somos mais de 600″, diz Lanna.
A pastora acredita que discursos radicais contra homossexuais têm raiz na falta esclarecimento sobre o Evangelho e no desejo por atenção.
“Eles falam isso por sensacionalismo, para conseguir ibope. Não defendo a promiscuidade. Defendo minha vida ao lado de alguém que amo e com quem quero constituir família. Deus nos ama como nós somos”, afirma Lanna.
Com Revista A Capa

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>