Guarabira, Mari, Itabaiana e Cruz do Espírito Santo podem receber ramais de trens da CBTU

As cidades de Mari, Cruz do Espírito Santo, Itabaiana e Guarabira estão entre as que podem ter ramais do sistema ferroviário metropolitano já instalado na Grande João Pessoa. A informação foi confirmada pelo superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Wladme Macedo.





Durante reunião com o prefeito de Mari, Marcos Martins, Macedo afirmou que a CBTU tem interesse em esticar as linhas, mas esse procedimento depende do governo federal. Segundo o superintendente, as prefeituras estão de olho nos ramais da Transnordestina na Paraíba, já descartados pelo governo federal, e que alcançam várias cidades do estado, inclusive as quatro mencionadas acima. Também houve encontros e discussões com outros prefeitos do Brejo e da Grande João Pessoa.

Deputada Camila Toscano pede à CBTU ramal de trem para Guarabira

Wladme explicou que os prefeitos interessados em ampliar o sistema de trens devem fazer solicitações formais aos ministérios das Cidades e dos Transportes. Só depois desse procedimento burocrático vencido e com as devidas autorizações, é que a CBTU poderá agir.

“A Companhia não tem autonomia para decidir sobre a utilização das linhas da Transnordestina na Paraíba. O caso cabe ao governo federal, por meio dos dois ministérios, mas a CBTU tem interesse na ideia e orientou os prefeitos que procurem Cidades e Transportes para que seja resolvido. Estando autorizado, a CBTU tem todas as competências para seguir em frente com a ampliação das linhas da região metropolitana”, explicou Wladme.

Hipótese de funcionamento
Trens antigos seriam restaurados para expansãoWladme Macedo adiantou como poderia ser o funcionamento do sistema ampliado de trens para outras cidades da Grande João Pessoa, como Cruz do Espírito Santo, e municípios próximos, como Itabaiana.

A ideia inicial contemplaria uma estação de integração em Santa Rita que permitiria baldeação para os outros municípios.

Caso o sistema novo de VLTs não fosse suficiente para chegar até esses locais, já com as oito composições, os trens antigos seriam reformados, ganhariam ar-condicionado e as linhas também passariam por reformas.

Transnordestina
O sistema de linhas férreas da Transnordestina começa no Porto de Pecém, em São Gonçalo do Amarante (CE), e segue para o Porto de Suape, em Ipojuca (PE), com aproximadamente 1,7 mil km, passando ainda pelo Piauí.
De acordo com Wladme Macedo, o trecho da Transnodestina que há na Paraíba não será utilizado pelo governo federal e pode ser disputado pelas cidades que têm interesse em instalar sistemas de trens.

Recentemente, o deputado federal Rômulo Gouveia (PSB) disse que vai trabalhar pela implantação do VLT em Campina Grande, a 130 km de João Pessoa, no Agreste do estado.

Sistema atual
Atualmente, o Sistema de Trens Urbanos de João Pessoa é operado por composições a diesel. Apenas uma linha férrea permite a operação do sistema e tem 30 km de extensão, passando por João Pessoa, Cabedelo, Bayeux e Santa Rita, com 10 estações em operação, transportando cerca de 10,1 mil passageiros/dia.

Ampliação confirmada
Conforme a CBTU, todo o sistema de trens da região metropolitana será substituído por oito composições do VLT.Duas delas já estão na Paraíba, sendo que uma está em operação de forma experimental.

Em quatro anos, a partir de 2015, todas as estações deverão ser reformadas, novos pontos construídos e o sistema de trens metropolitano definitivamente modernizado. O investimento inicial já chega a R$ 70 milhões, provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos, do governo federal.

Portal Correio

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>