Trombone é foco da quarta etapa do projeto Intervalos Instrumentais em Guarabira e João Pessoa


O Sesc Paraíba realiza, a partir de hoje, dia 5, até sábado, 7 de setembro, em João Pessoa e Guarabira, a quarta etapa do projeto Intervalos Instrumentais. Desta vez, os conterrâneos Radegundis Tavares e Azeitona sobem ao palco com o trombonista mineiro Marcos Flávio que, além do show, ministra o workshop de trombone nas duas cidades.
Nesta quinta-feira, 5, se apresentam no Sesc Guarabira o trompista Radegundis Tavares e o trombonista Marcos Flávio, a partir das 20 horas. Já na sexta-feira, dia 6, o show acontece no Sesc Centro João Pessoa, também às 20 horas, e tem como atração o músico convidado Marcos Flávio e o paraibano Azeitona. Os workshops serão realizados no dia 6, às 9 horas, em Guarabira, e no dia 7, às 15 horas, em João Pessoa. Todas as atividades do projeto Intervalos Instrumentais são gratuitas e abertas a quaisquer interessados. As inscrições para o workshop podem ser efetuadas no setor de cultura de cada unidade.
O evento busca fomentar a produção de música instrumental no estado, promover a troca de experiência entre artistas locais e convidados, além de realizar workshops em cada etapa do evento que contribuem para difusão do conhecimento, promovendo ainda um intercâmbio entre artistas locais e convidados. Na capital, o Sesc Centro está localizado na Rua Desembargador Souto Maior, 281, Centro. Já em Guarabira, fica na Rua José Maurício da Costa, 290, São José. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (83) 3208-3194, em João Pessoa, e através do (83) 3271-1601, em Guarabira.
Marcos Flávio (MG)


Mestre em música/performace pela UFMG e especialista em Práticas Interpretativas da Música Brasileira pela UEMG, Marcos Flávio participou e sagrou-se vencedor de vários concursos. Fez participações em várias Orquestras Sinfônicas pelo sudeste do pais e gravações de Cds e Dvds com outros artistas. Já se apresentou na França, Espanha e Argentina e integra os grupos Choro de Minas e Flor de Abacate (Choro), Jazz Mineiro Orquestra, Zé da Guiomar (Samba). Atualmente exerce atividade de professor da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Coordenador do Coral de Trombones e Tubas da UFMG.
Radegundis Tavares (PB)
Bacharel pela Universidade Federal da Paraíba sob a orientação do professor Cisneiro de Andrade, iniciou seus estudos em trompa aos 11 anos, no curso de extensão do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba - UFPB. Com 12 anos fez sua estreia como solista se apresentando com a Orquestra Infanto-Juvenil da UFPB. Com membros da mesma orquestra fundou o Quinteto de Metais Jampa Brass, com quem participou de vários festivais nacionais e internacionais de música.
Aos 15, ganhou menção honrosa no sexto prêmio Weril e estreou como solista no Teatro Municipal de São Paulo interpretando as Variações sobre "O Carnaval de Veneza", de Jean-Baptiste Arban. Desde abril de 2008 é professor efetivo de trompa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN.
Em 2012 passou a fazer parte do "Sexteto Potiguar" (Quinteto de metais e percussão), grupo com o qual se apresenta regularmente em eventos e festivais pelo Brasil. Nesse mesmo ano, gravou seu segundo CD, intitulado "Radegundis Tavares". No início de 2013 conluio o mestrado em educação musical na UFPB, sob a orientação do professor Luis Ricardo S. Queiroz.
Azeitona (PB)
Gilvando Pereira da Silva (Azeitona), Mestre em Práticas Interpretativas (Trombone) é natural de Itaporanga, onde iniciou os estudos em música na Banda Filarmônica do Colégio Diocesano D. João da Mata, em 1983. Integrou várias bandas e orquestras e em 1990 fundou e integra até hoje o Quarteto de Trombones da Paraíba, gravando Cds e Dvds e participando de eventos no Brasil e no exterior. Trabalhou com nomes como Livardo Alves, Adeildo Vieira, Fube, entre outros. Em 2010 gravou um CD solo intitulado "AZEITONIZANDO". Atualmente é Professor de Trombone e Tuba nos cursos Técnico e Bacharelado da Escola de Música da UFRN e Vice-presidente da Associação Brasileira de Trombonistas (ABT), gestão 2011/2012.

Imprimir artigoGuardar como PDF
Postar um comentário
>